Arquivo mensal: julho 2013

Convocatória – Foro de São Paulo

Imagem

Companheiros e companheiras,

A juventude brasileira vive um importante momento de mobilização,
refletido pelas manifestações democráticas que tomaram conta das ruas
de nosso país. Nos marcos dos 10 anos de governo democrático popular
capitaneado pelo PT que promove justiça social e reconhece na
juventude um pilar para o desenvolvimento nacional as vozes das ruas
pedem mais direitos. Na América Latina, muitos países são governados
por presidentes de esquerda, que caminham no sentido de romper com as
injustiças e fortalecer a soberania nacional, combatendo o
imperialismo norte-americano.

São esses os líderes das nações que construíram e representam as
ideias progressistas de embate e combate à grande crise econômica
internacional que assegurou reações positivas e assertivas à crise,
com crescimento econômico e um surpreendente índice de 6,2% de
desemprego na região – o menor da história.

No Brasil e na América Latina a juventude vai às ruas e se organiza
por mais direitos; já na Europa, os jovens lutam para não perder os
direitos conquistados, inclusive seus empregos.

É neste contexto que nos próximos dias, de 31 de julho a 4 de agosto,
acontece na cidade de São Paulo o XIX Foro de São Paulo, um dos
principais, se não o maior, encontros da esquerda do mundo, que conta
com mais de 100 entidades participantes. No Brasil, entre os partidos
políticos que o integram, estão o PCdoB, o PT e PSB.

O evento, que teve sua primeira edição em 1990, sob iniciativa do
ex-presidente Lula e o então presidente cubano Fidel Castro, reuniu
líderes de 48 organizações e partidos políticos da América Latina e do
Caribe que, após a queda do Muro de Berlim, entenderam a necessidade
de maior integração da esquerda latino-americana para criar
alternativas contra o neoliberalismo.

Durante a realização do evento acontece também o V Encontro da
Juventude do Foro, nos dia 30 e 31. A JPT é protagonista na
organização do evento, através da coordenação nacional de relações
internacionais e com o apoio da JPT Sampa. Desta forma, a Secretaria
Estadual de Juventude do PT convoca todos os militantes do estado de
São Paulo a participarem das atividades do Foro, com foco para o V
Encontro da Juventude.

Todos os filiados jovens do PT estão isentos da taxa de inscrição e
poderão se inscrever como delegados. Para se inscrever e obter maiores
informações, acesse www.forodesaopaulo.org

Rogerio Cruz – Secretáio Estadual da Juventude do PT-SP

Erik Bouzan – Secretário Municipal da Juventude do PT de São Paulo-SP

Serviço
O que: V Encontro de Juventudes do Foro de São Paulo
Quando: 30 e 31 de Julho de 2013
Onde: Hotel Braston. Rua Martins Fontes, 330. Consolação, São Paulo, SP.
Programação dia 30/07 (terça-feira)
16hs – Abertura – UJS, JPT, representantes dos comitês regionais do foro
19hs – Experiências de Política Públicas América Latina e Caribe- ,
Severine Macedo, Yuriri Ayala Zúñiga (deputada PRD) , Gabriela
(Alianza País). Mediador: Gabriel Medina
Programação dia 31/07 (quarta-feira)
9hs- 13hs – intervenções das organizações, membros e convidados
15hs-18hs – A integração latinoamericana, o projeto de desenvolvimento
e a juventude: Fernando Pacheco, UJS, UJC, JUCO, MAS
18hs – O papel da educação na integração latinoamericana
OCLAE, JJCC, Gabriel Alves (juventude do PPL), Frente Amplia, Frente Sandinista

Anúncios

Prefeitura abre diálogo para fortalecer reconhecimento cultural do funk

Prefeito Haddad e secretários municipais se reuniram com integrantes do movimento ‘Território Funk’. Prefeitura oferecerá apoio para ajudar no reconhecimento do valor cultural do funk

Imagem

Fernando Pereira / SECOM.

A Prefeitura de São Paulo, por meio de um trabalho intersetorial, promoverá ações para diminuir a criminalização sofrida pelo movimento do funk e ajudar no reconhecimento do valor cultural do estilo musical. O anúncio foi feito pelo prefeito Fernando Haddad, em reunião nesta terça-feira (23) com integrantes do movimento ‘Território Funk’. Mais de 60 pessoas participaram do encontro, que foi a primeira abertura de diálogo da história entre a administração municipal e os representantes do estilo.

A intenção da Prefeitura é repetir ações como a promovida no último fim de semana, quando o município apoiou com infra-estrutura um evento na Vila Natal, na Zona Sul, colocando a manifestação artística em local adequado, oferecendo segurança aos frequentadores e sem incomodar os vizinhos.

Além disso, outras ações de apoio ao funk ainda serão desenvolvidas em diálogo com os movimentos populares. Na reunião, Haddad recebeu o projeto nomeado ‘Território Funk’ que, além de ações de apoio à manifestação cultural, ainda propõe a criação de oficinas, palestras e ações sociais, usando o estilo musical como mote.

”Temos que continuar com essas experiências, sem pretender em uma semana arrematar um projeto e congelar. Não temos nenhuma intenção de tutelar nada e nem ninguém. Nossa idéia é dar suporte e ambiente para que as coisas aconteçam”, disse o prefeito Fernando Haddad.

Participaram do encontro os secretários Juca Ferreira (Cultura), Netinho de Paula (Promoção da Igualdade Racial), Celso Jatene (Esportes, Lazer e Recreação), Chico Macena (Coordenação das Subprefeituras), Roberto Porto (Segurança Urbana), César Callegari (Educação) e Rogério Sottili (Direitos Humanos e Cidadania).

O secretário Juca Ferreira ressaltou que não há um projeto definido de ações, mas a intenção da Prefeitura é garantir as expressões artísticas do funk, oferecendo o mínimo de infra-estrutura e rompendo com a discriminação e a criminalização que o estilo enfrenta na sociedade. “O objetivo é ajudar a organizar as festas e as comemorações, sem incomodar as pessoas que moram nos locais, dando segurança aos frequentadores, considerando que o funk é uma manifestação cultural legítima dos jovens da periferia”, afirmou.

“Essa experiência de sucesso serviu para estudarmos um formato para que vire uma política pública dessa gestão”, disse o secretário Netinho de Paula.

Movimento Funk
Além de reiterar apoio para garantir as manifestações artísticas, a Prefeitura abriu espaço para ouvir pleitos e sugestões de integrantes do movimento ‘Território Funk’. Grupos que reúnem artistas e ações sociais em prol do estilo musical, como a Liga do Funk e a Liga dos DJ’s puderam dar suas contribuições, que serão avaliadas por diversas secretarias e poderão ajudar na construção de uma convivência melhor entre a sociedade e o funk.

A família do MC Daleste, assassinado há um mês em cima do palco, também participou da reunião. ”Enxergo esse momento em que o prefeito nos recebe como uma nova era do funk. Chegou a nossa hora e nossa presença aqui, com voz, mostra que a morte do Daniel (MC Daleste) não foi em vão”, disse Carolina Sena, irmã do cantor. O irmão de Daleste, o MC Pet cantou a música ‘Nossa História’ em homenagem ao artista.

”O que as pessoas chamam de pancadões é a pessoa que pega o carro com som, abre o porta-mala e coloca sua música. Os jovens vão ali, ficam juntos e dançam, mas isso é porque não tem outro lugar para lazer. Precisamos discutir o lazer dos jovens na periferia”, afirmou o DJ Xenon.

”Pela primeira vez, uma Prefeitura abre o espaço para que o funk possa mostrar seu valor. Nem mesmo no Rio de Janeiro, esse espaço foi dado”, exaltou Teles, integrante da Liga do Funk.

”As pessoas tem preconceito e dizem que o funk é machista e sexista, mas não é o funk que é machista e sexista. O mundo é que é. Não foi o funk que inventou isso e isso mostra o preconceito e a discriminação que sofremos”, comentou MC Claudinho da Favela Monte Azul, no Jardim São Luiz.

Governo Dilma lança o Observatório Participativo da Juventude

Severine Macedo, secretária nacional de Juventude da Secretaria Geral da Presidência da República. 

(Foto: Richard Casas/PT)

Imagem

O governo federal disponibiliza, a partir desta quarta-feira (17), o Observatório Participativo da Juventude, também chamado de Participatório, um novo canal de diálogo direto com a juventude.

 

Por meio do endereço participatorio.juventude.gov.br, os usuários poderão participar de debates e discutir políticas e programas voltados ao público jovem. Os usuários poderão criar um cadastro ou usar seus perfis em outras redes sociais para se conectar.

“A política de juventude já nasceu com a premissa da participação social, da participação da juventude. E é um momento em que a participação precisa ser ampliada. E já que a juventude brasileira usa muito a internet como um dos instrumentos tanto de informação quanto de opinião, a gente achou importante apostar nesses viés da participação social. Isso é estar antenado com a realidade da juventude”, explicou Severine Macedo, secretária nacional de Juventude da Secretaria Geral da Presidência da República.

O Participatório vem sendo elaborado pela Secretaria Nacional de Juventude desde 2012, como resposta às demandas da 2ª Conferência Nacional de Juventude por mais e melhores informações. E o espaço virtual chega em fase de testes (beta), para que os usuários possam fazer sugestões e colaborar com o desenvolvimento da ferramenta, voltada à produção do conhecimento sobre a juventude e as políticas públicas com participação e mobilização social. Os primeiros debates serão sobre: reforma política, enfrentamento da violência contra juventude negra e direito à cidade e ao território.

(Blog do Planalto)

 

Reforma Política: Entenda as propostas do PT

Desde o início deste ano, o Partido dos Trabalhadores está empenhado na mobilização de assinaturas da sociedade brasileira em favor do Projeto de Lei de Iniciativa Popular sobre a Reforma Política. Objetivo é reformular a maneira de se fazer política do Brasil, tornando o sistema mais democrático e transparente. De acordo com o PT, os quatro pontos principais da reforma são: o financiamento público exclusivo para campanhas, o voto em lista preordenada, ampliação da participação feminina nas candidaturas e a convocação de Assembléia Constituinte Exclusiva.

Para compreender melhor sobre cada um dos temas, a TVPT preparou um vídeo explicativo sobre as propostas do PT em relação à Reforma Política, que também aborda a questão do plebiscito, levantado pela presidenta Dilma Rousseff.

(Janary Damacena — Portal do PT)

Rui Falcão conclama militância a se mobilizar em defesa de plebiscito

A hora agora é de irmos ás ruas defender a guinada à esquerda de nosso projeto democrático-popular!!

Debate sobre Conjuntura Atual e as novas formas de mobilização

 

Encontro realizado hoje (01/07) no Diretório Municipal do PT reuniu membros da executiva e militantes.

Por DMPT

Imagem

Debate foi organizado pelas secretarias de Movimentos Sociais e Juventude do PT Municipal e contou com a presença do jornalista Renato Rovai.

“O objetivo desse encontro é promover uma conversa temática e discussão sobre como enfrentar esse momento a partir das manifestações de rua”, disse a secretária de Movimentos Sociais.

Erik Bouzan, secretário de Juventude, fez uma análise sobre a participação da juventude do PT nas manifestações organizadas pelo movimento MPL (Movimento Passe Livre). “A manifestação do MPL é legitima. Eles lutam por uma única causa que é a melhoria do transporte público e tarifa zero. Agora, precisamos refletir sobre tudo o que aconteceu, principalmente sobre e os excessos tanto por parte de alguns manifestantes como da polícia e pensar como a juventude do PT pode contribuir para que a democracia se estabeleça”, disse Erik.

Léa, da secretaria nacional de juventude da CUT destaca que a juventude que está nas ruas é uma juventude que foi despertada pelos limites e avanços dos 10 anos de governo PT. O país avançou muito nesse período, mas é preciso avançar mais e cabe a nós, jovens, apontar os novos desafios em políticas públicas para os nossos governantes. Queremos ter voz junto às autoridades.  “Para nós a Reforma Política e a Democratização dos meios de Comunicação são os desafios mais urgentes”, completou Lea.

Renato Rovai fez uma avaliação do atual momento que estamos vivendo com o povo na rua e o que podemos mudar para acompanhar essa nova realidade com o advento das redes sociais. “Precisamos entender que as coisas mudaram e bastante. As pessoas hoje não precisam de mediadores para discutir política. Se a gente não entender é porque perdeu completamente a compreensão dos fatos. Precisamos entender como essas “máquinas” podem nos ajudar a construir do ponto de vista do processo político. É necessário que o poder público chegue à frente dos anseios da população. Os partidos precisam reinventar o seu modo de fazer política”, completou o jornalista.

Em seguida foi aberto o debate quando todos os participantes colocaram as suas opiniões.